Fórum Estadual reúne classe artística para debate sobre as artes cênicas no Tocantins em tempos de pandemia

0
5

Evento será realizado via webconferência, totalmente gratuito, nos polos das regionais de Gurupi, Araguaína e Palmas nesta semana

Artistas, produtores culturais e técnicos das áreas de dança, circo e teatro do Tocantins participam nesta semana do I Fórum Estadual de Artes Cênicas, que será realizado de sexta a domingo, 17 a 19, às 15 horas, via webconferência. O evento acontece de forma regionalizada, sendo um polo por dia, abrangendo a classe das regionais de Gurupi (17), Araguaína (18) e Palmas (19). A iniciativa é da Federação Tocantinense de Artes Cênicas (Fetac).

Podem participar filiados e não filiados à Federação e o link para a ficha de inscrição está disponível na bio do Instagram da Fetac (@fetac_oficial), ou pode ser solicitado pelos e-mails: diretoria.fetac.to@gmail.com ou pelo telefone (63) 9 9255-8658 (whats).

Durante o encontro, os participantes terão a oportunidade de conversar, refletir e criar um espaço de conexão, construção de pensamentos e de debate sobre questões que tangem as artes cênicas no Tocantins. “Vamos debater as prioridades para as artes cênicas do Tocantins neste momento de pandemia, como a Lei Aldir Blanc – Lei de Emergência Cultural, além de propor demandas para potencializar e fortalecer a atuação do segmento”, apontou o presidente da Fetac, Kaká Nogueira. Após os debates, será elaborada a Carta Final com demandas e propostas para as gestões municipais e estaduais, de curto, médio e longo prazos.

Fetac

A Federação Tocantinense de Artes Cênicas (Fetac) é composta, atualmente, por mais de 300 profissionais das áreas de teatro, dança, stand up comedy e circo no Tocantins (grupos, companhias, coletivos, artistas individuais, técnicos e criadores profissionais da cena como dramaturgos, cenógrafos, cenotécnicos, iluminadores, coreógrafos, técnicos de som e luz da cena, professores de teatro, dança e circo e afins), representantes de cerca de 30 grupos de Palmas, Araguaína, Gurupi e Porto Nacional. A formação se deu por uma necessidade da criação de uma instituição que represente as artes cênicas no Tocantins, do fortalecimento da cadeia produtiva local e busca por representatividade estadual do segmento.

 

Por: Cinthia Abreu